ECONOMIA / Procon Estadual divulga comparativo de taxas de juros pré-fixadas entre os principais bancos

O Setor de Estudos e Pesquisas do Procon Estadual do Rio de Janeiro está estreando um conjunto operacional de informações, com o intuito de orientar e prestar educação financeira aos consumidores. Dando início a esse projeto, o setor realizou uma pesquisa nos principais bancos de taxas de juros pré-fixadas para pessoas físicas no período de 03/06/2019 a 07/06/2019. A coleta de dados foi obtida com o Banco Central, que disponibiliza os estes dados de variadas instituições financeiras, entre elas: Santander, Safra, Itaú, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Bradesco.

As taxas de juros pré-fixadas são aquelas que possuem definição prévia do valor, ou seja, ela permite que o consumidor tenha conhecimento, em sua data de contratação, sobre o exato valor de todas as parcelas a serem pagas, pois elas permanecem fixas por todo o contrato.

Os juros médios do cartão de crédito estão entre os que são afetadas pelas taxas de juros pré-fixadas. Segundo divulgado pelo Banco Central, o juro médio do cartão de crédito rotativo para pessoa física já iniciou 2019 com aumento. De dezembro de 2018 para janeiro de 2019, ele subiu de 285,4% ao ano para 286,9% ao ano. Também foi observado aumento na taxa média de cheque especial, em dezembro de 2018 a taxa anual foi de 312,6%, já em janeiro de 2019 a taxa foi para 315,6%. Um dos motivos apresentados para influenciar esse aumento de juros cobrados pelos bancos é a taxa de inadimplência.

É importante ressaltar que o Comitê de Política Monetária do Banco Central (COPOM) realizou reunião nos dias 18 e 19 de junho, decidindo pela manutenção da taxa Selic em 6,50% ao ano, que permanece nesse valor desde março de 2018.

Nesse contexto, durante o período de 03/06/2019 a 07/06/2019, foram encontradas variações de até 351,94% entre os menores e maiores valores de uma mesma taxa de juros pré-fixada para pessoa física nos bancos avaliados no comparativo. Nele se destacaram para os menores e maiores valores, os seguintes resultados:

• Aquisição de outros bens
Menor taxa: Banco Santander – 1,04%
Maior taxa: Banco do Brasil – 3,76%

• Cartão de crédito parcelado
Menor taxa: Safra – 5,92%
Maior taxa: Caixa Econômica – 8,60%

• Cartão de Crédito Rotativo Regular
Menor taxa: Banco do Brasil – 8,78%
Maior taxa: Bradesco – 12,73%

• Cheque Especial
Menor taxa: Caixa Econômica Federal – 11,92%
Maior taxa: Banco Santander – 14,76%

• Crédito Pessoal Não Consignado
Menor taxa: Safra – 1,29%
Maior taxa: Bradesco – 5,83%

Sendo assim, é importante ressaltar que o consumidor fique atento. Em decorrência da elevação dos juros, escolher a alternativa que melhor condiz com a sua realidade financeira é um importante fator que poderá impedir problemas futuros. Veja o levantamento de taxas praticadas pelos bancos pesquisados aqui.

Vale lembrar que o Procon-RJ não se responsabiliza pelos juros informados, que refletem o valor praticado no momento da coleta. Estes podem sofrer variações para mais ou para menos como passar do tempo.

>
Facebook