O número de vagas informais cresce no Brasil, segundo IBGE.

A informalidade no trabalho atinge um nível recorde de brasileiros, são 38,8 milhões de pessoas que vivem essa realidade atualmente. Mesmo com a diminuição do índice de desemprego no primeiro semestre desse ano, para cada vaga de emprego formal, com carteira assinada, outras três surgem sem as garantias trabalhistas.

Observando dados de um ano atrás, foram ocupados pouco mais de 1,4 milhões de vagas sem carteira assinada ou CNPJ, número superior as 403 mil vagas formalizadas. A informalidade é um retrato real e crescente no Brasil.

Para o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), entende-se como trabalho informal o grupo de trabalhadores que não tem carteira assinada, os autônomos sem CNPJ e os intitulados “sem remuneração”, que contribuem para o trabalho em família.

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada pelo IBGE nesta semana, analisou os dados referentes ao primeiro semestre de agosto desse ano, comparados com o mesmo período de 2018.

Segundo o Ministério da Economia, os critérios divergem dos adotados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia.

 

 

Foto: imagem da internet

>
Facebook