“Hotel de Deus”: Câmara pede informações sobre projeto anunciado no Twitter pelo prefeito

Na sessão desta terça-feira (29), parlamentares da Câmara Municipal de Macaé, aprovaram um requerimento do vereador Marcel Silvano (PT) que solicitava informações sobre o “Hotel de Deus”, um local destinado para receber idosos e abrigar moradores de rua, anunciado com este nome pelo prefeito Aluízio Santos Júnior (PSDB) no Twitter.

De acordo com Marcel, ele foi alertado pelo representante do Conselho Municipal do Idoso, que expressou grande preocupação sobre o funcionamento do espaço, previsto para ser instalado na  Linha Azul. “Gostaríamos de saber se o hotel funcionará mesmo no Hotel Via Norte; quais os custos do projeto; quem serão os responsáveis; como as políticas implementadas serão  integradas ao sistema de saúde; quais serão os serviços oferecidos e como a população  poderá ter acesso”.

Segundo o autor do requerimento, os questionamentos surgiram pela ausência de um projeto que deveria ajudar a construir tal política. “Além disso, não temos conhecimento sobre qualquer memorando, circular, processo,
licitação ou previsão orçamentária para a construção do ‘Hotel de Deus’. Queremos saber  se isso é sério ou se é só mais um devaneio do prefeito no Twitter”, afirmou Marcel.

Mais uma vez o prefeito da cidade foi reprovado pelo anúncio do projeto na rede social, sem informações consistentes. “Parece que o prefeito transferiu a Secretaria de Planejamento para o Twitter e cometeu uma blasfêmia com o nome de Deus. A prática de alugar hotel para agradar empresário não é sustentável. Como ficarão os assistidos quando a prefeitura não puder mais pagar pelo uso do espaço?”, disse Maxwell Vaz (SD).

O vereador do Solidariedade completou criticando a nova localização do “Hotel de Deus”, que seria na Linha Azul, que é uma via bastante perigosa. Robson Oliveira (PSDB) validou a sua opinião chamando atenção para o descaso da atual gestão com os idosos: “Aprovamos uma lei sobre o Disque Idoso, que ainda não foi colocada em prática pelo Executivo. As carteiras de vacinação não foram providenciadas e a mudança do local de atendimento preocupa os que enfrentarão dificuldades para se deslocar até o local”.

>
Facebook